29 de mai de 2013

Fingimento

Descrever-te é uma arte
Cuja qual não quero fazer parte.
Amar-te é um sacrilégio
Cujo qual quero me livrar.

Quando desgostoso me tornei,
Teu sorriso exponencialmente aumentou.
Minha barba não mais cresceu
E teus beijos tomaram lugar.

Detesto as marcas que você deixa nas minhas roupas
E os batons que mais gosta.
O cheiro do seu perfume ataca minha rinite,
E por culpa sua, antialérgicos tem sido minha salvação.

Quero livrar-me de ti
Assim como quero livrar-me dos meus pensamentos.
Todavia, também escolhi chegar até aqui.
Fadada ao intenso e eterno Fingimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário