7 de fev de 2013

Ineficácia nas expectativas


É fato que odeio tuas promessas. Todas elas.
Desde o amanhecer até o jantar, você me ilude e me traz falsas emoções: Finalmente irá fazer o que tanto a tanto tempo te peço.
Algumas horas depois você desmente e me diz que tem uma maldita reunião importante.
Já te disse que você devia trabalhar na iniciativa privada? Lá as horas extras seriam remuneradas e o que você já adora fazer, vai lhe trazer dinheiro também.
Idiota.
Detesto ter que te odiar tanto quanto eu te odeio no momento: Só não consigo mais suportar a eficácia com que você destrói dias de expectativas com apenas algumas palavras que só interessam a você.
Eu sei que é teu trabalho e é ele que mantém essa casa, mas, trabalhar mais de doze horas por dia não vai trazer nada também.

Eu odeio tuas promessas, mas, dessa vez, você vai cumpri-las, não é mesmo?
Desculpe ter brigado tanto com você, desculpe ter insistido tanto.
Mas é sério, porque falar tanto se não vai cumprir, às vezes?
Deixe de ser idiota.
Você devia trabalhar para a iniciativa privada, repito.
Me ajude só dessa vez!
Por favor, vamos até lá, assine aquele maldito papel.
Eu sei que você não tem tempo, mas eu quero poder sonhar também. Deixe-me sonhar.

Desisto de você. Desisto de acreditar em você. Desisto de criar expectativas.
Não sou eu que estou errada nessa história toda: É você. Só estou avisando.
Tudo vai dar certo no final né? Uma ova.
Esperar não vai mudar nada, não. Tem que fazer acontecer.
Ai como eu queria poder sair dirigindo por ai...
Pô mãe, me leva logo até lá! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário