22 de jan de 2013

Filmoteca – TOP 5: Musicais!


Can you hear the people sing? O musical é um gênero de cinema que desperta muitas sensações na audiência, seja o amor dos fanáticos ou o ódio daqueles que não suportam mais de meia hora em um filme cantado. Mas querendo ou não, os musicais seguem sendo bastante populares, arrecadando milhões e tendo reconhecimento da crítica. Contando com produções cada vez mais impecáveis, cenários mais elaborados e roteiros mais instigantes. Sendo assim, não é uma tarefa nada fácil ter que garimpar e escolher apenas 5 representantes do cinema musical para montar um top, ainda mais sendo um gênero tão diversificado que evoluiu junto com o cinema. Sem mais delongas, vamos ao primeiro top 5 da coluna:

5º - Canções de Amor (2007)

Se os musicais ganham cada vez mais destaque pelas produções cheias de grandes cenários, este aqui segue pelo caminho oposto. O cenário aqui são as ruas de Paris, uma Paris gélida (o que só a deixa mais bonita). O filme acompanha a história de um jornalista (Garrel) que tem um vive um romance a três com Alice e Julie. Mas uma reviravolta deixa a vida de todos de cabeça para baixo. O filme ganha bela simplicidade, pelo modo com o drama é abordado e pela beleza da fotografia. Impossível assistir e não suspirar.


“Ama-me menos, mas me ame por mais tempo.”

4º - Dançando no Escuro (2000)

Dirigido pelo polêmico Lars Von Trier (Anticristo) este filme, que foi vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes em 2000, se passa em 1964 e conta a história de Selma, aqui interpretada pela cantora Björk, imigrante que vai para os Estados Unidos trabalhar dia e noite em uma fábrica para pagar uma operação para o seu filho. E é durante o trabalho que cada batida da fábrica se transforma em uma nota musical no mundo imaginário criado por Selma para fugir da realidade que não é nada fácil. O filme é um soco no estômago e se emocionar aqui é regra.


3º - The Rocky Horror Picture Show (1975)

Clássico do cinema Cult e indie, este filme já foi revisitado várias vezes: algumas com resultados bem interessantes (As vantagens de ser invisível) e algumas que não valem ser lembradas (Glee). Um musical cativante, que tem como personagem principal um travesti do planeta Transsexual, que recebe a visita de um casal de noivos que precisa de ajuda. Tudo aqui foge do convencional, é preciso assisti-lo com a mente aberta e se deixar levar pela historia criada pelo diretor Jim Sharman (que fez apenas outros dois filmes, mas nenhum obteve tanto sucesso). Instigante, original, como um comentário no filmow definiu o filme: “uma orgia estranha intergalática”



2º - Chicago (2002)

Se até agora a nossa lista estava indo pelo lado B dos musicais e fugindo do convencional, este aqui é ponto comum quando se fala de uma grande produção, grandes cenários, enfim, tudo muito bem elaborado. A trama se passa em uma Chicago perigosa da década de 20 e traz duas assassinas que viram celebridades na prisão. O filme foi hit absoluto tanto de bilheteria, arrecadou mais de 170 milhões só nos Estados Unidos, quanto de sucesso de crítica, teve 13 indicações ao Oscar de 2003 e levou em 6 categorias, incluindo melhor filme. Para os amantes do gênero, é um prato cheio!


1º - Cantando na Chuva (1952)

Este aqui é soberano quando se trata de musicais: é o primeiro lugar da lista dos “25 Maiores Musicais de todos os Tempos” idealizada pelo AFI e é considerado até mesmo um dos melhores filmes já feitos. E não poderia ser diferente na nossa lista. É um daqueles filmes que te deixam com um sorriso involuntário quando você assiste. Os cenários são lindíssimos, os atores têm química e tudo flui como se fosse mágica. É uma referência que já dura mais de 50 anos e mesmo assim continua atual. Um elenco carismático e números perfeitos. Irretocável. Duas cenas marcantes:





Claro que com um número reduzido muitos clássicos e musicais importantes ficaram de fora, mas que por isso não foram menos importantes para a história do gênero ou não sejam grandes referências. Exemplos disso não faltam: Grease, Moulin Rouge, Funny Girl, Nasce Uma Estrela, entre outros. Até semana que vem!



Nenhum comentário:

Postar um comentário