30 de set de 2011

Sobre si mesmo


"Se alguém me perguntar quando comecei a sentir a minha vida mais interessante, eu tenho a resposta na ponta da língua: quando comecei a me interessar mais por mim. A ser mais gentil comigo. A dar menos espaço ao que não tem importância e a respeitar o tamanho do que, de fato, me importa. A querer me conhecer melhor... A ter bem menos pressa pra chegar sei lá onde. A apurar o ouvido pra sentir a música das coisas mais simples, que cantam bonito e muitas vezes baixinho. Quando comecei a me enjoar da mania de tentar entender tanto e abri o coração para apreciar mais. Quando comecei a buscar conforto em estar na minha companhia. Às vezes, ao acordar, eu me olho no espelho e me digo: Vamos lá, Ana, fazer o melhor que a gente puder desse dia que eu estou com você. De uns tempos pra cá, não é que tem sido verdade!"
Ana Jácomo

Raiva


Seu coração bate mais devagar, seus olhos ficam semi abertos e você entra numa dança sem fim: se mantém preso num sentimento que não faz bem. E continua assim. Até que se vinga.
Isso é a raiva.
Você tenta fugir dela, dizer que não sente. Mas é impossível esquece-la, nem que seja por um segundo. Seu coração continua batendo devagar, como se quisesse parar pra simplesmente poder golpear um alguém, de tamanha incessatez. Então, seu cérebro manda uma carga de adrenalina. Sentiu? Tá um pouco mais rápido. Você está se movendo, indo em direção, parando de pensar.
Talvez cometa um crime.
Seu sorriso continua ali, aberto, no rosto. Sendo irônico por si mesmo, quebrando uma barreira física e mental, desapropriando o desconhecido e questionando os próximos. Você começa a ir mais rápido, seus pensamentos sumiram de vez. Só vê uma cor: Vermelho. Sangue. Dor. Você está perdido, não é mesmo? Vontade de gritar, dizer que odeia tudo e todos. Que nada é o suficiente e que fizeram péssimas escolhas por você.
Até seu passado tem culpa e seu futuro é a sua escapatória.
Mais adrenalina. Você quase consegue ouvir as batidas, como um tambor que a velocidade foi aumentando freneticamente até quem toca começar a machucar as mãos, começar a chorar. É assim que você se sente, com as mãos machucadas, mas com ódio.
Você chora, você diz que não entende. É só a raiva consumindo seu corpo lentamente, te dizendo como agir, o que falar.
Perdido. É assim que você está. Deveria procurar algum lugar à voltar.
Então seus pensamentos vão voltando lentamente, sua consciência começa a pesar, mas sua raiva continua ali, intacta. Até que ela some: Acaba, de repente.
Só fica a duvida de quando ela vai voltar, de como seus pés irão suportar correr, fugir tanto.
Você deveria se achar, para poder depois procurar algo. Já parou pra pensar?

22 de set de 2011

A tal da evolução.


Eu já escrevi sobre superação, amor e morte. Já escrevi também sobre meus medos, meus momentos, meus amores e desafetos. Até que cheguei num status que pra mim não tenho mais o que dizer.. até que o assunto vem.
É complicado manter um blog, uma vida, um sentimento, o que quer que seja por muito tempo. Porque se nós, que somos (im)perfeitos, somos finitos, quem dirá o resto das coisas, né?
Quando somos pequenos, nossas mães nos ensinam a doar as roupas e os brinquedos que não nos servem mais, o que talvez seja a melhor lição que nos ensinam: a compartilhar. Compartilhar amor, compartilhar a dor, conhecimento e dúvidas, simplesmente ter o prazer de dividir com alguém, aquilo que não cabe só no seu peito. Entender alguém, pelo simples fato de que um dia alguém te entendeu.
Você pensa no futuro? Eu penso e quando penso, imagino algo bem diferente, surpreendente. Quero ter filhos, e você? Mas eu quero fazer diferente com eles, quero que eles tenham o que eu não tive, sejam mais felizes do que eu fui, tenham mais amigos, chorem menos...
Engraçado, nunca queremos o mal ao nosso próximo, nunca imaginamos que ele vá sofrer, mas eles sofrem. Sofrem, porque é da vida deles. É mais uma lição, mais um calo na mão.
Estudei esse bimestre sobre a essência da nossa cultura e percebi, que por mais que haja o racismo, haja preconceitos, defeitos na nossa sociedade, hoje vivemos num mundo mais justo. Há 50 anos atrás quem diria que gays sairiam por ai de mãos dadas e ninguém olharia torto? Quem diria que eles iam até se casar, com papel assinado e tudo mais? Pois é. É a tal da evolução.
Conforme evoluímos, ultrapassamos nossas próprias barreiras e conhecemos novas pessoas, acabamos deixando de ser o que éramos e nos tornamos em um novo alguém, nos reinventamos. Isso todos os dias. Todas as noites.
Mudanças nunca são ruins, você apenas mudou. Aceite isso. Não tente voltar atrás: vai ser cansativo e você vai continuar mudando, mudando e mudando, até perceber que não vai parar de mudar, até perceber que você nunca vai ser como era antes.
Egocentrismo é uma prova disso: Antes, as pessoas pensavam de uma maneira geral, por que era importante na época, importante para a sociedade. Hoje, você quer ter o cabelo vermelho? Ok. Você quer ter cabelo vermelho, sobrancelhas roxas e unhas verdes? Ok. Ninguém liga, ninguém se importa. Muito menos eu. Tá entendendo? Você tem o seu próprio espaço pessoal, pra divulgar o que pensa, o que acha bonito e interessante: seu corpo e seu cérebro. Algumas pessoas vão se identificar, outras não vão gostar. Mas não é um problema.. o que é ótimo. O problema de verdade é quando as pessoas se mantém tão entretidas em si mesmas, que esqueceram que apartir do momento que ela tem direitos, ela tem deveres e o outro também. Se você ferir meu direito, posso te denunciar, e vice-versa.
Como entender a sociedade atual? Muito simples: Não entenda. Países são diferentes, culturas são diferentes e as pessoas entre si são mais diferentes ainda. Mas há quem vai gostar, há quem vai cuidar e há quem não vai ligar. É só se acostumar.
Você vai acabar esquecendo um dia, superando, entendendo e não ligando. Você vai acabar compartilhando, vivendo o futuro, tendo filhos, vendo a evolução e vai chegar a uma única decisão final: ainda há muito mais a ser feito. Ainda há mais. E sempre haverá.
O importante é não deixar de lutar pelo que acredita, pelo que acha certo e pelo que condena: porque você pode estar certo e nem estar sabendo.

Relacionamento: Rainha


Ando intimista. Gosto de escrever textos, como se as pessoas estivessem conversando comigo, como se eu estivesse ali, na frente delas, contando minha história e elas contando a delas. Mas não dá pra ser sempre assim. Da mesma forma que nem toda paixão vira amor, e nem todo sentimento é real. Vou contar uma história.
Havia uma princesa, que se apaixonou por um príncipe. Eles namoraram durante um longo tempo, secretamente. Acontece que um dia, o príncipe pediu pra ela tomar um tal chá, mas sua intuição disse pra ela não tomar.. Ela tomou, é claro. Ela ficou adormecida durante longos e longos anos, até que um dia ela acordou.
Seu reino estava destruído, seu pai havia morrido há tanto tempo e sua madrasta já estava em leito de morte: Ela confessou que a havia enfeitiçado, que tinha feito todas as atrocidades e que seu grande amor era um ator. Tudo bem. Ela ia superar, esse é o problema.
Você se sente como a princesa, as vezes? Com tudo dando certo...... até que dá tudo errado. Você nunca espera, você nunca tá preparado.
Sorrir fica difícil nesse momento. Quando te perguntam se tá tudo bem, você tem vontade de dizer que tá tudo mal, mas não quer que se preocupem. Ficar sozinho é a solução mas também o maior desafio.
Gostaria de te dizer o que fazer.. mas nem eu sei.
Vou contar o que eu faço: Releio conversas, mensagens e procuro erros, defeitos. Falo com as amigas, pergunto o porquê e fico sem uma resposta. Então, como se nada estivesse ruim o suficiente, coloco a culpa em mim, digo que eu fiz algo errado. Se identificou? Pois é.
Agora vou contar os erros: Reler as conversas, mensagens e procurar erros, defeitos. Falar com as amigas tá tudo bem, mas não tem porquê. Acabou. Foi assim. Tinha que ser, aceite. E se culpar? A culpa não é sua. Você tem defeitos, mas ele gostava de você assim no começo. O problema é ele.
Ele te traiu? Não foi por algo que você não fez, foi por algo que ele não sentiu. Ele terminou com você? Melhor assim, pensa comigo. Você não tá com um par de chifres em cima da testa e você vai sofrer.. só que menos. Pois não vai tentar concertar o inconcertável.
Não tente ser amiga, discutir sobre futebol ou música. Vocês terminaram, quebraram o que tinham, quer dizer.. eu acho né. Pois não adianta nada terminar um minuto e no seguinte dar os dedinhos e fingir que nada aconteceu. Assim como não dá pra ignorar o passado.
Teve algo bom? É claro que teve, sempre vai ter. Não vale a pena esconder. Mas acabou. As lembranças vão ficar com você, vão te acompanhar e muitas vezes você ainda vai se lembrar, até que vai se desvincular. Vai ir esquecendo aos poucos, parando de pensar.

Tá ouvindo alguma coisa? Nem eu. Acho que passou.
Superar um relacionamento é difícil, ainda mais quando dura bastante tempo ou tem sentimento. Mas você não tem que esquecer o que é bom. Guarde, aliás. Isso faz parte da sua história e você vai querer conta-la, algum dia qualquer.
Ah, e a princesa? Ela salvou o reino, encontrou um novo amor e teve alguns filhos. Como manda o figurino.
Tudo vai dar certo, confia em mim.

7 de set de 2011

O passado com amor

Como esquecer antigos amores? Difícil.
Quando somos crianças, nós lemos e ouvimos histórias de casais que ficam juntos pra sempre e queremos aquilo pra nós mesmos também. (Pelo menos as meninas.) Quem nunca sonhou que era a cinderela, bela adormecida ou a branca de neve, né? O problema é que a gente cresce.
Nós crescemos, vivemos e enfrentamos o mundo e descobrimos maravilhas e histórias ainda mais impressionantes - pelo fato de serem reais. Então você deseja aquilo, anseia por aquilo. 
Até que vem um menino e rouba seu coração. Ele é sorrateiro, se faz de desentendido e quando vê você só pensa nele, em como contar pra ele e em como seria se não tivesse ele - o que te deixa preocupada. Ele se declara, você dá um sorriso. E então ele te beija. Aquele beijo calmo, surreal. Você está vivendo seu conto de fadas e nem sabia. O tempo vai passando e tudo vai dando certo (do seu jeito) e vocês estão cada vez mais unidos, porém, venho cá dizer: felicidade alheia incomoda. E incomoda de verdade. Então, mais sorrateiramente ainda as brigas vem se tornando constantes, fofocas vão se tornando maiores e mentiras são contadas, fatos são omitidos e a menina só sabe chorar. E o menino não sabe o que fazer.
Continuar, insistir? Devo realmente prosseguir?
Você insiste. Afinal, que conto de fadas não passa por um turbilhão de coisas ruins, né? Mas essas coisas ruins continuam e chorar não é mais tão agradável e você se pega pensando novamente: ''como seria sem ele?'' e acaba imaginando uma vida legal, diferente. Acaba imaginando que no final das contas ia ser feliz. Finalmente, quando se percebe isso, é a hora de dizer tchau e falar: ''nós ainda podemos ser amigos'' o que é MENTIRA. Vocês podem tentar, mas é impossível. Vocês tem toda uma história juntos e ser amigos seria como te dar um tapa na cara todos os dias. Ninguém gosta de tapas na cara.
O tempo passa. Já ouviu isso? Então, acredite. Aquele seu conto de fadas vai ter um outro príncipe, sério. 
O tempo já passou: Acredita que foram muitos meses longe um do outro - apesar das ligações dele? Apesar dele insistir em ser seu amigo, apesar de você ainda sentir algo por ele? Você superou isso de uma certa forma, só não se desvinculou, coisa tal qual é a parte mais necessária do processo. Se desvincular: Apagar fotos, apagar memórias: Não precisa ser totalmente, você deve guardar o que realmente precisar. Mas jogue o lixo fora, faça uma limpeza no seu coração e deixe tudo limpinho. Alguém está a chegar.
''Oi'' ele diz. Ele pergunta como você está, como foi o seu dia e o que você achou de tal filme. Você ri com ele, brinca com ele, anda com ele. Você pensa no seu ex fazendo essas coisas? Acho que não.
É ai que a tua ficha cai: você superou. Não totalmente, afinal, amores são eternos e únicos na sua essência, mas superou.
Até que o seu ex volta, te atrapalha todos os planos e te pede pra voltar.
Eu espero que você diga não. Porque? Se ele realmente te amasse, tanto tempo não teria passado e outras não teriam sentido o que você sentiu com ele.
O amor é complicado e a paixão é mais ainda. Não é realmente compreensível, mas ela deixa pistas de como lidar. 
No final do dia, encare os fatos: Outro quer estar em seu coração, é só você deixar. 
Deixe, prometo que não vai se arrepender.

Dedicado à Giovana Francisco. 

Finalmente

"Nós temos muitas chances nessa vida. Nós tenhos chances de mudar o destino, chances de mudar o que pensam de nós e temos chance de destruir isso tudo - basta querer.
Quando nos perdemos, precisamos que alguém nos ajude a encontrar o caminho de volta.
Ai entra você.
Pedir arrego é uma das coisas mais difíceis desse mundo, porém quando se pede, sabe-se que a coisa tá feia. Quando se pede arrego, sabe-se que a pessoa não aguenta mais ir contra a maré, que acabou a munição da sua arma, que falta motivos pra continuar a lutar.
É por isso que eu te agradeço.
Você pode ler muitos poemas - mas eles nunca vão te ensinar sobre amor. A professora de português/literatura pode tentar descrever, mas só você sabe definir o que realmente é um romance. Nós sempre sabemos, é instintivo.
Ouvi pessoas dizerem que é impossível, que tudo o que nós podemos fazer é previsível e que somos jovens. Jovens, adolescentes e imaturos que nada conhecem.. Nada além do amor.
Na adolescência é a época que tudo mais dói: qualquer briga parece ser definitiva, e volta a ser uma amizade cinco minutos depois. Qualquer amor parece ser o perfeito pra você, parece ter encontrado o homem ou mulher da sua vida, dai então tudo desmorona. Nessa época, nós descobrimos como definir onde colocar um pouco de fantasia e um pouco de realidade, aprendemos como viver com isso. É por isso que é tão crucial.
Acontece que sonhos também se tornam realidade.
É por isso que a esperança tem de ser sempre como quando vai chegando o natal e somos crianças: Você tem esperança que aquela tia-avó não te dê roupa e que seus pais finalmente comprem o presente certo.
Mas então, aprendemos de verdade: o destino não é prevísivel, quando você menos esperar, você vai ser surpreendido.
E então, finalmente, tudo vai dar certo. "

Dedicado à Guilherme Momma.