29 de jul de 2011

#laçodefita início

Yay, nova sessão no blog, hoje. Como vocês perceberam, o nome dessa sessão é: Laço de fita. Toda semana, ou sempre que pudermos, postaremos no blog, histórias, pensamentos, textos de diferentes autores, com o intuito de complementar o conteudo já apresentado pela nossa dupla dinâmica. Espero que gostem, seus lindos. :D





"Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.
Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meus olhos. E a segunda opção ninguém mais tem. "



Por: Verônica H.

21 de jul de 2011

Caminhos incertos

Conviver com nossos pensamentos não é fácil. E provavelmente nunca vai ser.
Nós pensamos em quem se deveria esquecer, e nos preocupamos com quem não quer que nos preocupemos. Nós imaginamos um mundo lindo e perfeito, desejamos que aquilo se torne realidade, então, abrimos os olhos.
Abrir os olhos talvez seja a parte mais difícil do esquema. Porque não é um simples despertar, é acordar pra realidade e no fundo ninguém é preparado pra isso.
Quando nos contam histórias de princesas, eles tem como objetivo nos fazer acreditar que sonhar é bom e que algo ruim só acontece, e depois melhora. E quando não é tão simples assim? Será que seria complicação do nosso próprio pensamento?
Existe também o medo: E se a realidade nos decepcionar, e se as pessoas reais nos decepcionarem?
Tem um comercial que diz ''As questões que movem o mundo'' ou algo assim. As questões são movidas pelo medo e pela curiosidade. Afinal, temos medo do que não conhecemos e temos curiosidade pra conhecer.
As vezes você é surpreendida, as vezes alguém te dá carinho, atenção. Te ajuda. E então essa pessoa vai embora. É complicado aceitar que ela não possa ficar ali junto pra sempre, mas isso não quer dizer que ela não esteja pra sempre naquele instante, guardado em sua memória.
Por isso que amar é a parte mais complicada. Amar envolve estar na realidade e sonhar com um futuro. Acontece que o futuro escapa das nossas mãos e acaba sendo decepcionante, e afetando a realidade - que até então ia bem. Isso seria auto destruição, coisa que todos nós somos capazes de fazer, até inconsciente.
E hoje eu estava pensando com meus botões, com a minha massa cinzenta ou de que cor vocês quiserem. O amor que aquele cara te deu, ou disse que te deu aquele momento, é realmente eterno, pois, era aquilo que ele sentia naquele momento, e aquele momento está vivo em vocês dois, está vivo na memória, na inconstância da vida.
Então, quando um menino disser que te ama, naquele momento, provavelmente seja verdade, só não quer dizer que em outros momentos mais também seja.
Nós precisamos parar de julgar as pessoas como um todo, sendo que elas são constituídas por partes.
Nós precisamos aceitar isso também.
Talvez a vida não seja movida por perguntas, e sim por aceitação. Aceitar que nem tudo vai dar certo, aceitar que uma pessoa não vá te amar pra sempre e a todo momento. Aceitar que uma hora você vai morrer, aceitar que uma hora as coisas tem que acabar. Aceitar que apesar de nós não vivermos em um conto de fadas, tudo vai dar certo no final. Não certo do jeito que imaginamos, e sim do modo que precisamos.
Acordar. Aceitar. Viver.
E no fim, a gente acaba descobrindo o valor da saudade: aquela pessoa que te faz muito bem, e você acabou esquecendo, sem motivo nenhum. Saudade é te fazer procurar novamente aquilo, é te fazer procurar o que lhe faz bem.

12 de jul de 2011

Estradas sem fim.



Caminhos. 
Tantos a seguir, estradas, escolhas, momentos. A vida tem me mostrado novas formas de seguir em frente. Superar, suprir necessidades. Objetivos, realizações, desejos. Decidi seguir um outro caminho. Estava acostumada a caminhar, lentamente, em uma estrada qualquer. Um pouco emburacada, que o rumo não tinha fim. Parecia que eu caminhava em círculos. Sempre da mesma forma, sempre as mesmas emoções. Tive algumas quedas e já havia até me acostumado com elas. De tão acostumada, já não me afetavam mais. Decidi então parar. Olhar ao meu redor. Comecei a rever meus conceitos, mudar de opinião, fazer novas hipóteses.
Desde então, tenho posto em prática tudo o que pensei. Mudei, reinventei. Superei. Surgiu-me então, novos caminhos, novas ideias, novas vontades. Continuei. Conheci um novo mundo, com outros sentimentos, outras  sensações. Talvez mais intensas do que as outras. Ganhei marcas, marcas mais profundas, que ficarão em mim por muito tempo. Descobri que  tudo o que eu acreditava, era pouco. Pouco para imensidão que é a vida. Peguei uma carona com um mais novo amigo. Demos as mãos e escolhemos então percorrer essa nova estrada juntos. Decidimos começar a viver.   

5 de jul de 2011

Sobre a espera

Espera.
Aquele verbo, aquela ação que te consome o cérebro e usa/abusa de toda a sua criatividade.
Aquela menina, esperava aquele menino à algum tempo. Então, aquela tal menina começou a imaginar possíveis motivos para aquele tal menino não aparecer. Ele podia ter morrido, a dor de cabeça podia ter se expandido, ele podia ter saído com os amigos, ele podia estar com outra. Claro, porque ela não havia pensado nessa possibilidade antes?
Em situações de espera como essa, o cérebro simplesmente não te permite pensar em opções boas, é como se fosse contra a sua lei, é como se fosse mais um motivo pra quando aquele menino aparecer, eles brigarem, a fim de que ela realmente saiba a verdade e que essa verdade seja o que ela tinha imaginado: Ele estava com outra.
Mulher é um bicho louco, adora inventar asneira. Por eu ser mulher, ter melhores amigas, ouvir seus medos, suas histórias sempre, que eu posso afirmar: Tudo que uma mulher puder transformar em erro masculino, elas transformam. Qualquer partida de futebol é afirmação de que ele tem outra ou que não a ama.
Talvez seja só carência. Mulher é eternamente carente, exatamente por isso homem tem que falar que a ama, que gosta dela toda hora. Tem que dar carinho, abraçar e principalmente: não pode mudar a rotina. Porque ai ela começa a pensar coisas erradas novamente, e é como se vivesse uma eterna espera: a de que ele cometa um erro.
Acontece que humanos são seres falhos, que erram. Logo, elas esperarem isso deles, é como uma bomba: as vezes leva algum tempo pra explodir, mas ela explode.
Eu poderia escrever até um pequeno manual de como agir com as mulheres, mas se você seguir a risca vai ser mais um bom motivo de afirmação.
Mulher é um bicho louco, mas quando se faz tudo certo, quando ela finalmente aprende a confiar plenamente, se torna a sua melhor amiga, sua companheira, sua amante.
E então, quando aquele menino chega, aquela menina abre um sorriso. Ela sabe que ele poderia estar com outra, doente, morto ou qualquer coisa, mas, agora, ele está com ela.