18 de jan de 2011

Amor.

Todo mundo fala de amor. Fala que amor é uma coisa linda, que só acontece uma vez na vida. Até eu mesma já escrevi sobre amor, e sempre escrevo. A diferença é que agora eu sinto.
Ele tem cinco meses, e menos de um metro. Oito quilos. Eu sabia que o amava na primeira vez que o vi. 
Tinha medo de pegar ele no colo, de dar um beijo na sua bochecha. Tinha e tenho medo de não faze-lo feliz o suficiente.
A gente sabe que ama, quando o amor nos faz amadurecer conforme o mesmo cresce, não quando desaparece, não quando ele se torna impossível.
É por isso que o amor não é carnal, é sentimental.
Eu amo meu irmão. Sou coruja mesmo. Só que vocês tem que entender que ele foi a melhor coisa que aconteceu pra mim. Aquele sorriso, aqueles olhos esperando o momento no qual eu vou abraçá-lo. É muito amor e eu simplesmente nunca disse um eu te amo pra ele. Nunca precisou. Sempre ficou claro.
Por isso, nunca se iludam quando alguém disser que te ama. Às vezes não é amor, é só um querer estar perto.
Pois, quando realmente for amor, não vai ser necessária uma palavra se quer, porque você vai sentir no sangue, nos olhos, no coração. 

Definição de amor:


Amor: 1 Sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem, ou de alguma coisa; a m o r ao próximo; a m o r ao patrimônio artístico de sua terra. 2 Sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro ser ou a uma coisa; devoção; culto; adoração.

         Dizem que o amor é algo, que nem Deus soube definir, foi algo que os humanos criaram pelo qual, Ele teve certo apreço. Foi algo que Ele aprendeu a ter com seu filho. Mas a verdade, é que o amor não existe.
O amor é um sentimento, um fator que nos liga n’outra pessoa. É o conjunto de coisas que aos nossos olhos, torna tal pessoa bela a ponto de desejar-lhe bem, de querer-lhe perto para sempre. É o prazer carnal, unido à ligação, com um desejo irreal de que tais momentos sejam eternos. É se contentar com a felicidade d’outro, mesmo que ela não faça parte da sua. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário