6 de jan de 2011

História: Jasmine e a Hipopotamo

    Em uma terra distante, conhecida como Cidade, havia uma pequena garota, que não era tão pequena assim. Na verdade, ela era normal, tinha um tamanho normal, o problema é que os outros eram grandes demais.
    Ela tinha um metro e sessenta e todos os outros tinham mais do que o dobro do seu tamanho. A Cidade, era feita sob medida a todos eles, então as maçanetas eram no alto, as portas eram terrivelmente grandes, os parques de diversões, os jardins. Tudo era adaptado à pessoas grandes.
    Jasmine - esse era o seu nome - não podia ir a nenhum desses lugares, porque ela simplesmente não conseguia abrir a porta, entrar em algum brinquedo no parque de diversões, ou comprar comida.
    Então ela resolveu se mudar. Resolveu ir para uma cidade, onde todas as outras pessoas eram pequenas, para que ela pudesse se sentir normal. A cidade escolhida foi Encantado. Lá, tudo era absolutamente pequeno. As portas, os carros, os parques de diversões e etc.
    Um dia, ela resolveu que ia visitar alguns vizinhos, e a grande - não tão grande - surpresa, nem ao menos seus pés passavam pela porta.
    Foi quando ela resolveu se mudar de novo, para uma cidade mediana.
    A cidade mediana, tinha o nome de bixo, um nome estranho e o qual ela jamais gostara. O nome era Hipopotamo. Ela não entendia o porque de ter um H alí no início, para começar. Ela também não entendia o porque da cidade ter nome de bixo. E muito menos de um bixo tão estranho como aquele. Mas, ela ignorava todas essas coisas.
    Então ela entrou na cidade e procurou uma casa - coisa que fez em todas as outras. Nessa cidade, a dificuldade não fora tão grande. Na verdade, ela encontrou com certa facilidade. Jasmine conseguia passar na porta, e ela não parecia tão grande, ela parecia adequada. Ela também podia comprar comida e ir ao parque de diversões. Ela conseguiu até ir ao cinema.
    Foi então que a grande mudança realmente aconteceu: Jasmine se apaixonou.
    Mudança não tão grande para quem vê a história à tamanha distância, mas para ela foi significativa. Foi a primeira vez que se apaixonou por alguém, exatamente do seu tamanho e que se encaixava exatamente nela. Então, ela se sentiu na obrigação de se manter feliz constantemente - afinal, ela só havia pedido uma cidade na qual se encaixasse, e no final acabou encontrando um amor e uma cidade. Não havia mais motivo para reclamação.


Espero que gostem. É uma analogia, então dêem uma analisada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário